Psoríase

A psoríase é uma doença crônica e não contagiosa, que
atinge principalmente a pele, mas também pode acometer a
mucosa e as articulações. Apresenta períodos de melhora e de
piora. Sua causa é desconhecida, mas sabe-se que está
relacionada à predisposição genética, a alterações do sistema
imunológico e fatores ambientais, como o tabagismo,
obesidade e consumo de bebidas alcoólicas.
Na psoríase, a velocidade de produção das células da
epiderme está bastante acelerada, sendo que essas células
não conseguem ser eficazmente eliminadas, por isso há a
formação de placas e escamas na superfície da pele. Além
dessas placas com descamação prateada ou esbranquiçada,
comuns nos joelhos, cotovelos e couro cabeludo, ainda podem
surgir outros sintomas, como alterações das unhas
(descolamento, espessamento, deformidades) , inchaços e
rigidez nas articulações.


Em casos de psoríase leve ou moderada as lesões de pele
podem incomodar um pouco, mas, nos casos mais graves, a
psoríase pode provocar alterações importantes, além de dor, e
de impactar negativamente na qualidade de vida, baixa
autoestima do paciente. Por isso a importância de procurar
tratamento o quanto antes.


O diagnóstico da psoríase se dá através do exame clínico,
realizado por um médico especialista, que irá identificar a
doença e classifica-la em um dos diversos tipos clínicos. O
tratamento varia de acordo com a classificação e extensão da
doença.


Nos casos leves, hidratar a pele, aplicar medicamentos tópicos
na região das lesões e exposição diária ao sol são suficientes
para melhorar o quadro clínico e promover o desaparecimento
dos sintomas. Nos casos moderados, quando apenas essas
medidas não melhorarem os sintomas, o tratamento pode
incluir a fototerapia (PUVA ou UVB de banda larga ou estreita),
que consiste em um tratamento que utiliza a luz ultravioleta de

forma terapêutica. Já em casos graves, o médico pode optar
por iniciar tratamentos com medicação via oral ou injetáveis.
A psoríase pode influenciar diretamente a qualidade de vida e
na autoestima do paciente, sendo que isso pode ocasionar até
mesmo uma piora do quadro. Ademais, a psoríase pode estar
relacionada com outras comorbidades: obesidade, hipertensão
arterial e diabetes. Assim, é muito importante que o paciente
mantenha uma alimentação equilibrada, realize atividades
físicas regulares, e em alguns casos o acompanhamento
psicológico pode estar indicado.